domingo, 11 de novembro de 2018

Academia Paraense de Literatura de Cordel – APLC

A posse na Academia
É motivo pra agradecer,
Ser parte nesta história 
Mil vezes quero dizer 
Obrigada, muito obrigada!
Ao meu Deus e a você.


Hoje falo com palavras
Vindas do meu coração,
Garanto senti meu peito 
Transbordou de gratidão 
Nem sem como agradecer 
Quão grande é a emoção.

A Academia Paraense de

Literatura de Cordel
É algo inexplicável 
Um belíssimo tandel 
Melhor do que isto garanto 
Só se for festa no céu.

Escolhi para patrono

O Silvino Pirauá
Este é meu conterrâneo
Tenho orgulho em falar
Sei jamais serei igual,
Mas vale a pena tentar.

Em cordel é referência

Deixou o mais lindo legado
Além de criar sextilhas
E o martelo agalopado
Escreveu grandes obras
E merece ser lembrado.

Garanto para meus fãs

Que já fiz meu juramento
Por isto estou firme e forte
Com grande brilho na mente,
Porque escrever um cordel
É o que me faz ser contente.
 Literatura de Cordel 

Meu amor pelo cordel
Aflorou desde a infância
Sinto muita alegria
Ao mergulhar lembrança
Buscando aquelas histórias
Que lia quando criança.

Apesar de ter nascido
A escola não incentivou
Numa inversão de papéis
E ao invés de literatura
Falavam dos coronéis.

A sorte é que meu pai
Sempre me incentivou
Perdi a conta dos livretos,
Que ele me presenteou
Se hoje sou cordelistas,
Foi ele quem me ajudou.

O que não aprendi na escola
Tive o mundo para ensinar,
No ofício de professora
Sempre quis incentivar
E junto aos meus alunos
Aprendi cordelizar.

Garanto que doravante
Terei como missão,
Expandir nosso cordel
Com toda dedicação
Farei isso com a alegria
Vinda do meu coração.

 Lusa Silva
Para mais informações link👇
👉Fotos


Oficina de Cordel


Vamos produzir cordel
Com rima ou até em branco
Nem que seja pé quebrado
O tal de cavalo manco
Comece faça o primeiro
Tu vás gostar eu garanto.

Vamos faça alguma coisa
Preservem esta cultura
Quem ensina e aprende
Cativa com a leitura
O cordel e interessante
Dê vida a literatura.

Lusa Silva

FARGÃO


Eu preciso confessar
Toda minha admiração
Por a bela vestimenta
Que tem o nome “FARGÃO”,
Algo assim com singeleza
Um esplendor de beleza,
Que causa em mim comoção.

Se antes de vê-la eu não fosse
Escritora de cordel
Juro que teria que ser
Pra não virar Cascavel
E tentar envenenar
Meu jeito de invejar,
Que seria muito cruel.

Lusa Silva
Lusa Silva

* FARGÃO: veste do Cordelista o que significa uma mistura de farda com gibão.
Nome criado pelos membros fundadores da: Academia Paraense de Literatura de Cordel – APLC 

Correção de provas na SEMED Marabá-Pa


De Fábio Rogério o convite 
 que atendemos gentilmente
Apresentou  a proposta
De tudo nos fez ciente
Criamos um mutirão
Pra corrigir redação
De um jeito bem coerente.

A Quênia nos orientou
Com carinho e presteza
Iniciamos o trabalho
Com toda delicadeza
Algo assim tão prazeroso
Para mim foi horroroso
Ler do aluno, a singeleza.

Aquelas cartinha simples
Que chamava a atenção
Talvez pela inocência
Ou mesmo pela intenção
De mandar seus recados
Dos casos vivenciados
Por toda população.

Vimos que o gênero carta
Não foi algo predominante
Mas o destinatário seria
Quase sempre um governante.
Quem mal sabia escrever
Nos davam um entender
Algo bom de um ser pensante.

E que Deus dê vida longa
Para o prefeito TIÃO
Porque ele precisará
Ganhar mais uma eleição
Para fazer só metade
Do que lhe foi solicitado
Na prova de redação.

Garanto que trabalhamos
Com muita paz e harmonia
Com pessoas chics fitness
Cheias de toda sabedoria
Quênia na administração
Vânia na alimentação
E toda a pedagogia.

Concluímos esta etapa
Com muita dedicação
Se hoje estamos aqui
Selando nossa união
Com este Happy Hour.
Nada mais justo e Leal
Para encerrar essa missão.

Lusa Silva 30/09/2018.

As proezas do meu avô

Vô Bié e Ritinha sua mulher Velho honesto e trabalhador... Mas era ignorante igual seu  Lunga Zombava do curandeiro ao doutor Faz...