quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Ta danado de bom...


Galera?! Sou uma blogueira!
Quase uma profissional...
Hum! Blogueira e cordelista.
Imaginem como isso é legal
Literatura e tecnologia
Uma parceria sensacional!

Terceiro concurso de blog
Fiquei em segundo lugar.
É a cultura nordestina gente!
Ganhando espaço no Pará
É a paçoca da rapadura
Servida em cuias de Tacacá.

Pra quem estava devagarinho
Ou seja, começando a engatinhar.
Posso até mesmo assim dizer.
Que o cordel já começou andar
Ai! Ta bom que ta danado!

Quero agradecer aos amigos,
Aos meus alunos e Professores
E de um modo bem especial
A toda comissão de avaliadores
E de já agradeço também 
Os nossos patrocinadores.




ImageChef.com - Custom comment codes for MySpace, Hi5, Friendster and more






sexta-feira, 11 de novembro de 2011

fotocodel



I Encontro de Cordelista de Marabá e região.

Primeiro encontro de cordelista
Noé convidou até a imprensa
Tivemos o apoio dos jornalistas
Não sou poeta mas fui convidada.
Em cordel sou quase... Especialista.
E que bela oportunidade
Para uma blogueira cordelista.
Pois recitei meus versos
Ao som de uma viola
De um grande repentista.
E quando botei este chapéu?
Lembrei do blog e do cordel...
Senti-me uma blogueira!
Em trajes de gangaceira.
Rosa, minha amiga!? Quanta fartura...
Carne, seca farofa e rapadura,
Eram as comidas típicas do Sertão
Preferidas dos cabras de Lampião.
Essa é nossa amiga Kátia
Responsável pela organização.
Foi quem teve a ideia
De homenagear Lampião.


Pode até parecer bizarro
Mas em cenário de Lampião
Trempe e panela de barro
Servia pra fazer o boião.
Hum! Lusinete e João
Aqui os dois representam
Maria Bonita e lampião..
 fotocordel

Recordações do I encontro de Cordelista de Marabá e região. Promovido pela Casa da cultura de Marabá.


ImageChef.com - Custom comment codes for MySpace, Hi5, Friendster and more

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Cor delirar...


Cor delirar...

III concurso professor poeta
Fiquei em décimo quarto lugar.
Isso é meu humilde cordel
Engatinhando no Pará

É só pra preservar a cultura.
Deixem-me cordelirar...
Escrevi um pedaço de cordel
Esse eu não posso postar
Pertence à Casa do professor
Só eles podem publicar
Em breve certamente
Vocês poderão apreciar

E assim devo continuar
Brincando ou competindo.
Mas, pra falar a verdade
Estou mesmo me divertindo
Faço cordel só pra recordar
O meu torrão nordestino.

Neste mundo de competição
Confesso não posso parar
Vem aí o III concurso de blog
Eu também vou participar
De já peço ajuda de todos,
Pra visitar-me e comentar.

Garanto! Você vai gostar.
Vou usar as tecnologias
E pra fazer a diferença,
Vou valer-me da poesia
Aqui o cordel com o blog
Vão entrar em sintonia.

Cordelirar: Fazer cordel e delirar

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Gostei dessa imagem

Gostei dessa imagem: "Para visualizar a mensagem, clique aqui. Aproveite e alegre seus amigos com as mensagens do dia."


Essa é a ANASTÁCIA
Numa pose de RAINHA.
Como estava vindo da Igreja...
Ficou "COMPORTADINHA"




Não e as "pantera cor de rosa"
E também não são ONÇAS.
Mas com essas fantasia...
Virou uma LAMBANÇA.

Maria José, você trocou...
Os loiros por uma PERUCA?
Agora não e mais  a "loira",
Você é: a nega MALUCA!

O Elcimar bebendo e cantando
A música do "LOBO MAU
Mas você estava mais...
Pra ser o "PICA-PAU".




E
Essa é a mana Anastácia
Quando vinha da Igreja.










quinta-feira, 9 de junho de 2011

Arraiá do Paulo Freire


Venha pro nosso arraiá!
Vai ter quadrilha,
Bolo de mio e mugunzá.
Tem pescaria e pipoca,
Maçã do amor e vatapá.

É festa de SAN JÃO...
Tem Miss Caipira e quentão!
Venha! Vosmecês vai gostá,
Da dança do rodeio e do siriá

E tem convite pra quem quiser
Tem pra home e pra muié.
Eita sô! qui festança nimada.
Traga toda criançada!
Será dia trinta, dezenove ora.
Vosmecê, num vai ficá de fora?!
Vem ver moça bunita,
De trança e vestido de chita.

Ocê vem? Tua presença é esperada.
Oiá, aqui num vai fartá nada!

 Lusinete.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Quem sou eu como professor e aprendiz





Professora de Português
Sou uma eterna aprendiz
Lotada no laboratório
Uma coisa que sempre quis
O entusiasmo dos alunos
Mim deixa muito feliz

Sou licenciada em Letras
E também em Filosofia
Atuo na área de letras
Adoro as tecnologias
Com elas faço a diferença
Mudo a metodologia.

As boas metodologias
sempre gostei de adotar
Pois a melhor recompensa
E o aluno te procurar
Pra te dizer que a aula foi boa
Ou mesmo pra te abraçar

Que o aluno quer novidade
Disso eu já sou ciente
E pra melhorar as aulas
Sempre fiz algo diferente
Uso as mídias e as rimas
Pra aula ficar atraente.

Seja um som uma música
DVD ou computador
Leitura compartilhada
ou um retro projetor
E toda criatividade
De um bom educador

Se o professor reclama
E o aluno não tá satisfeito
Nem adianta querer saber
De quem e o defeito
mude a metodologias
E logo verás o efeito.

Pois o professor sem as TIC
já e coisa do passado
Em pleno seculo XXI
E o mundo informatizado,
ou o professor se recicla
ou vai sentir-se ultrapassado

Essas são exigências
de nossa sociedade
que anda em um ritmo
bastante acelerado
Quem não se informatizar
Poderá ser penalizado.



Autora: Lusinete Bezerra da Silva


Poema produzido para o Curso: Tecnologia na Educação: Ensinando e Aprendendo com as TICs Formadora: Hila Zoé N. de Brito. Aluna: Lusinete Bezerra da Silva
Turma: Bambu/ Marabá/2010




segunda-feira, 25 de abril de 2011

A REALIDADE

A realidade

E não ignorem nada
Da minha simplicidade
Pois não sei se é brincadeira,
Ou a pura realidade.
Mas se não gostarem desta parte,
Desculpem-me por caridade!!!

Pois nossa luta é grande
ultrapassa planejamento
Projetos para todos os gostos
Quem não lembra “o meio ambiente”
Coisas que não dá para esquecer...
E o abono? que não sai da mente!

Esse assunto virou rotina
É grande o bafafá
O SINTEP quer interagir
Os prefeitos chegam a negar
Quando a grana cai nas conta
Aí sim! É só comemorar...

É muita muita luta e pouca grana
Isso não dá para negar.
Mas vamos esquecer essa parte?
E começar a Trabalhar!
Vem aí o segundo bimestre
E com ele vem o “GESTA”.

E é mais um motivo
Que nos causa preocupação,
E são tantas exigências...
Porque trabalhar na educação
Requer muito amor,
E muita dedicação.

Por isso meus amigos é que,
Devemos sentir-se motivados.
Pra elevar toda sabedoria
Em prol de nossa sociedade.
E nada disso é brincadeira
É simplesmente a realidade.

Autora: Lusinete B. Silva
Poema Produzido em 2009 para o concurso de poema “Professor Poeta”. Promovida pela SEMED em Marabá.....................................






ImageChef.com - Custom comment codes for MySpace, Hi5, Friendster and more

As proezas do meu avô

Vô Bié e Ritinha sua mulher Velho honesto e trabalhador... Mas era ignorante igual seu  Lunga Zombava do curandeiro ao doutor Faz...