sábado, 25 de setembro de 2010

Cinderela

Cinderela,moça bela
Perdeu a mãe pobre menina.
Ficando triste a sofrer,
Seguiu cumprindo sua sina.
Vivendo com a madrasta,
Mulher amarga igual quina.

Vivia sempre humilhada,
Por madrasta e enteadas.
O pai, esse fingia não ver,
Que a filha era maltratada
Mas ela muito obediente
Pra alma da mãe ela rezava.

Quando o pai ia as compras
Para as enteadas perguntava
Qual o presente queriam,
E de tudo ele comprava.
Vestidos e pedras preciosas,
Ele trazia ela usavam.

O que queres, Cinderela?
-Quero um ramo de flor
Que no seu chapéu bater.
Ele trouxe com amor,
E ela cuidadosamente
No túmulo da mãe plantou.

E com as lágrimas regou
A planta logo cresceu.
Virou abrigo dos pássaros
Cinderela agradeceu.
E no dia que precisou,
Um bando do céu desceu.

Assim cresceu Cinderela.
O rei um baile anunciou
Pra escolher uma princesa
A madrasta se animou
Cinderela queria ir,
A madrasta não deixou.

Mostrando sua crueldade
A madrasta quis atrapalhar.
Misturou lentilhas e cinzas
Pra Cinderela separar.
Mas as aves do céu desceu
Rápido pra lhe ajudar.

Quando terminou a tarefa,
Mais uma fada chegou.
E os trapos de Cinderela
Em fantasia transformou.
A menina ficou feliz,
Com pressa se arrumou.

A fada transformou abóbora,
Numa linda carruagem.
Cinderela assim seguiu
A sua grande viagem.
Na festa embelezou todos
O príncipe e os demais.

Mas como ela tinha pressa
E não podia demorar,
Porque após a meia-noite
O encanto ia acabar
A coisa era muito séria!
Ela não poda duvidar.

Bem na hora da saída
Tropeçou em um degrau
Assim acabou perdendo
Um sapatinho de cristal
Que o príncipe encontrou
Pra ela foi muito legal.

Porque para o príncipe
Só o sapatinho restou.
Essa era a única saída,
Pra encontrar seu amor.
Todas as moças queriam
Só a Cinderela calçou.

As irmãs ambiciosas
Deram até passamento.
A madrasta quis morrer,
Naquele mesmo momento
Mas o príncipe pediu
Cinderela em casamento.

O sofrimento cruel
De Cinderela acabou.
Com muita felicidade
Se sonho realizou.
E viveu feliz pra sempre,
Ao lado do seu amor.

Uma produção dos alunos da Escola são Raimundo em Parceria com a professora Lusinete Bezerra da Silva.

4 comentários:

  1. Legal!Adorei seus versos continui produzindo cordel com seus alunos, isso é muito inporante!!!

    ResponderExcluir
  2. muito bom!!!
    adoro todos os seos cordeis eles me fazem refletir muito

    ResponderExcluir
  3. Nossa muito BOM...gostei de todos, continue fazendo mas,..Parabéns !

    ResponderExcluir
  4. Bertin Di Carmelitaoutubro 19, 2017

    Parabéns a poetisa
    Dona de LUZ e CANDURA
    Vai fazendo sua arte
    Com carinho, e com lisura
    Mostrando como é gostoso ler
    Ensinando ao aluno escrever
    A própria literatura!

    (Bertin Di Carmelita)

    valeu Lusa e alunos!

    ResponderExcluir

As proezas do meu avô

Vô Bié e Ritinha sua mulher Velho honesto e trabalhador... Mas era ignorante igual seu  Lunga Zombava do curandeiro ao doutor Faz...