quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Tem nada não...


Eita, quarto lugar foi bom!
Ah! Sou da Terra do forró.
Logo  meu humilde cordel,
Aqui na Terra do carimbó
Se fosse lá no nordeste...
Aí sim, a nota seria melhor.



E não tem nada não porque,
No Blog ainda sou aprendiz.
Meus cordéis estão no Blog
Uma coisa que sempre quis
As visitas e os comentários,
É o que mais deixa feliz.

Autora: Lusinete Bezerra da Silva.











Cordeldidático





Aqui tudo será em Cordel,
De já quero avisar vocês!
Quem gostar desse gênero,
Vai virar meu freguês.
Os temas serão variados,
O idioma será Português.

O cordel em sala de aula,
É uma grande riqueza
As rimas cativa os alunos
O professor com sua sutileza
Desperta logo a atenção deles,
Daí, dar aula vira  moleza.

Os aluno logo começam
A gosta mais de literatura.
Também ficam motivados
Pela escrita e  pela leitura
E logo passa a valorizar
As riquezas dessa cultura.

Usem todos os recursos,
As rimas e as repetições.
Vejam que fonema e som
E o mesmo que aliteração
E que num pisca de olho
Já sai pronto um refrão.

O cordel é interdisciplinar,
Porque os temas são variados.
Dá pra trabalhar gramática,
De um jeito diversificado.
É uma metodologia simples,
Que só dá bons resultados.

Este Blog está prontinho
E se alguém interessar,
Visite e fique bem a vontade
Tanto pra ler quanto pra linkar 
Garanto comigo deu  certo.
Só resta você experimentar!


Autora: Lusinete Bezerra da Silva

As proezas do meu avô

Vô Bié e Ritinha sua mulher Velho honesto e trabalhador... Mas era ignorante igual seu  Lunga Zombava do curandeiro ao doutor Faz...