terça-feira, 14 de novembro de 2017

As ruínas do Itacaiúnas

É incrível como muitos continuam a ignorar,
Fingindo não vê que ele está quase morrendo
Que destruíram as nascentes e a mata ciliar
E que água e espécies estão desaparecendo.

Foi ao longo dos anos o desenvolvimento,
Talvez tenha sido falta de conscientização
Que contribuiu pra aumentar o assoreamento,
Mas foi o homem quem causou a destruição.

Ele só queria a pesca, o lazer e o bem estar
Agora só nos resta este teu leito desnudo,
Só o pedregulho sem chance de recuperar.

Daqui a alguns anos este homem vai chorar
Vai chorar sim, mas este rio talvez não chore,
Pois nele não haverá água nem pra lagrimar.

Silva, Lusa
Texto do livro Um mix de poesias/2016. Projeto Tocaiúnas III.

As proezas do meu avô

Vô Bié e Ritinha sua mulher Velho honesto e trabalhador... Mas era ignorante igual seu  Lunga Zombava do curandeiro ao doutor Faz...